Budapest

Oh, Budapest… My favourite city in the World!

I’ve lived in Budapest during my Erasmus + traineeship from January to July 2015. It was definitely the best 7 months of my life.

Budapest is described by the Brazilian author and singer Chico Buarque as the “yellow city”, and it is true: everything is yellow, the Danube river, the lights… That’s one of the reasons why I love the city, as yellow is my favourite colour. The city is full of beautiful and nice people, good food, a lot of culture and an incredible atmosphere.

About the Hungarian people… They are very cold and sometimes they can be very xenophobic. But when they know you and like you, they can be the loveliest people. People always have a love/ hate relationship with the Hungarians, but I can’t complain at all. I’ve got very good friends in Hungary and I am thankful everyday for meeting them!

The currency in Hungary is the HUF (Hungarian Forint) and the language is Magyar, the 5th most difficult language in the world.

Here are some useful words:

  • Szia | Hello or goodbye
  • Jó reggelt | Good morning
  • Köszönöm | Thank you
  • Igen | Yes
  • Nem | No
  • Egészségedre | Cheers

Where you can stay

There are a lot of nice Airbnb’s and hostels in Budapest. I can advise you some, where I’ve stayed before:

Careful when booking hostels. If you’re into partying it’s alright, but if you’re into relaxing and silence pay attention to comments and location because some of them turn into clubs at night.

Getting around

From the airport: there is a BKK stand in the airport where you can ask for metro lines map and buy your tickets. To get to the city centre, catch the 100E bus that will take you to Kobanya-Kispest metro station and then from there go wherever you need. There is also the 200E that goes directly to Deák Ferenc tér.

You can definitely walk everywhere within the city centre and it will take you a maximum of 45 minutes to reach. If you don’t fancy walking that much, just like me, you can buy a travelcard for the days you’re in or if you have a student card you can buy the monthly pass for students which costs you 3450HUF, so around £10 and you can travel anywhere using any public transport, including the BKK ferryboat (D11, D12 and D14), running daily, allowing you to go on a low cost sightseeing tour on the Danube. A single ticket costs 750HUF, but if you got a BKK pass you can travel for free during weekdays.

I would advise you not to travel in any public transport without a valid ticket. The ticket checkers are everywhere and the fines are heavy!

Things to do

  • Hungarian Parliament (outside and inside if you have time) and the Shoes on the Danube, just below the parliament by the riverside. If you want a good photo of the Parliament, just catch the metro from Kossuth Lajos Tér to Batthyány Tér and enjoy the amazing view!
  • If you’re into museums, there’s the Hungarian National Gallery, House of Terror and the Hungarian National Museum. There’s a lot more which I haven’t been, but I would definitely recommend this 3. If you’re lucky, on the 1st or 3rd Saturday of the month some have free entry.
  • Climb the Gellért Hill, enjoy the view and then relax on the Gellért Thermal Bath, my favourite and also the most expensive. If you want to go more low cost, there’s Rudas, Király, Lukacs or the famous Széchenyi Baths. Check the official websites for prices and discounts.
  • Just close to Széchenyi Baths you can find the Heroes Square and just next to it there’s the amazing Vajdahunyad Castle. Worth a visit!
  • Visit the Castle Hill and the Fisherman’s Bastion and if you have time, repeat it at night, so you can city the lights of the city. Don’t go later than 1am as the lights turn off by that time.
  • Check the St. Stephen’s Basilica and enjoy the panorama view from the cupola. Tip: there is a lift if you want to avoid the stairs.
  • Walk around the Jewish Quarter and visit the Synagogue, the second largest in the World. If you find it too pricey, just look from the outside.
  • Did you know that the famous Escape Room game started in Budapest? Why not giving it a try? You can try Exit Point, Escape House or Parapark, the first escape room ever, and many others.
  • Do yourself a favour and visit one of the most beautiful libraries in the world, Ervin Szabó. To visit the library, you need to register as a reader or daily visitor which is 200HUF paid in cash.
  • If you like opera and ballets, there’s a show almost everyday and the tickets are very affordable, especially for students. Hungarians are very good at opera singing. You can also visit the Opera House which is very beautiful. I visited it while going on a show.
  • Margaret Island is a nice place for a quiet walk, run or bicycle ride. You can also enjoy the musical fountain show from March until October at 10:30am, 5pm, 6pm, 7:30pm and 9pm.
  • Take a ride on the iconic tram nº2 from Margaret Island to Fövám tér (where the Market is) and enjoy the views.
  • One of my favourite places to go and where you can also enjoy a good meal and drinks is a riverside kind of beach club called Fellini Római Kultúrbisztró, which is open from the 1st of May to the 1st of October. You can take the ferryboat from the centre and enjoy the views of the Danube.
  • If you have time and when in Summer, take a day trip to Lake Balaton, the largest lake in Central Europe. Don’t forget to bring your swimsuit and beach towel! You can catch the train from Déli Railway Station and then you can visit the lake. Usually to get into the water, you usually need to pay if you go in a private beach, but it’s like £1. I recommend Siófok, Balatonfüred, Tihany, Keszthely and Fonyód. In the Summer, you can get around the lake by ferryboat.

 

Where to eat/drink

  • My favourite place for breakfast/snack is Ahoy Cafe. They simply have the best hot chocolate and the owner is extremely friendly.
  • On the Great Market Hall you can find a lot of tradicional food and the best and cheapest souvenirs. If you enter through the main door, there is a stand with delicious biscuits that you should definitely try. Sausages and typical smoked meats are delicious as well. You can also try the tradicional Pálinka (fruit brandy) or the herbal liqueur Unicum.
  • Drum Cafe, where you can try typical Hungarian food for a very affordable price. Try their goulash soup.
  • Mazel Tov, if you want to try some nice Jewish food.
  • Bors Gastro Bar, where you can try delicious soups and sandwiches. (Gordon Ramsay also likes it a lot!)
  • Trofea Grill, if you feel like all you can eat kind of thing.
  • Paprika Vendéglő, a typical hungarian restaurant recommended by locals.
  • If you fancy ice cream, try Gelarto Rosa just by St. Stephen’s Basilica. Ask for happy end and they will put Nutella inside the cone.
  • You can find some nice restaurants and bars at Gozsdu Udvar.
  • 360 Bar, a rooftop bar with amazing cocktails. You may need to call them to book in advance.
  • If you like dancing, here are my favourite clubs: Morrison’s 2 with thematic nights, Fogas Ház, Instant, Hello Baby, Romkert, Anker’t and the one and only Szimpla Kert. Budapest is full of nice ruin pubs, so just get lost around and enjoy the nightlife.

 

I have so many other things to tell you about Budapest and Hungary, but I think that’s enough for now. I hope you’ll love Budapest as much as I do!

If you have any suggestions or if you want to ask me something, just leave a comment here.

With love,

Mafalda Sousa

________________________

Agora em português…

Budapeste… A minha cidade favorita do Mundo!

Vivi em Budapeste de Janeiro a Julho de 2015 durante o meu estágio Erasmus +. Foram os melhores 7 meses da minha vida.

Chico Buarque descreve Budapeste como “amarela”.

“Budapeste, cortada por um rio. O Danúbio, pensei, era o Danúbio mas não era azul, era amarelo, a cidade toda era amarela, os telhados, o asfalto, os parques, engraçado isso, uma cidade amarela, eu pensava que Budapeste fosse cinzenta, mas Budapeste era amarela.” 

E não é que é verdade? Tudo tem um tom amarelo, o Danúbio, as luzes da cidade… É uma das razões pelas quais eu adoro Budapeste, já que amarelo é a minha cor favorita. A cidade está cheia de pessoas bonitas e simpáticas, boa comida, imensa actividade cultural e tudo com uma atmosfera incrível.

Sobre os Húngaros… Podem ser bastante frios e um pouco xenófobos. Mas quando já te conhecem e se identificam contigo, podem ser das pessoas mais queridas. Toda a gente tem uma relação de amor-ódio pelos Húngaros, mas eu não me posso queixar de todo. Fiz muito bons amigos na Hungria e todos os dias agradeço por os ter conhecido!

A moeda da Hungria é o HUF (florim) e a língua oficial é o Magyar, a quinta língua mais difícil do Mundo.

Algumas palavras úteis:

  • Szia | Olá ou adeus
  • Jó reggelt | Bom dia
  • Köszönöm | Obrigado
  • Igen | Sim
  • Nem | Não
  • Egészségedre! | Saúde!

Onde ficar 

Existem imensos apartamentos incríveis no Airbnb e hostels também. Posso aconselhar alguns onde já fiquei alojada:

Cuidado ao escolher hostels. Se estiveres numa de festa, não há problema, mas se estiveres numa de paz e silêncio, presta atenção aos comentários e localização pois muitos deles transformam-se em bares e discotecas à noite.

Transportes

A partir do aeroporto: existe uma banca da BKK no aeroporto onde se pode ver o mapa do metro e comprar bilhetes. Para chegar ao centro, apanha-se o autocarro 100E que pára na estação de metro de Kobanya-Kispest e a partir daí apanha-se o metro para onde se quiser ir. Existe também o autocarro 200E que vai directo à Deák Ferenc tér.

Consegue-se perfeitamente fazer o centro da cidade a pé em caminhadas de no máximo 45 minutos. Se não gostares de andar muito a pé, como eu, podes sempre comprar um travelcard para os dias em que estiveres na cidade ou se tiveres um cartão de estudante podes comprar o passe mensal que custa 3450HUF, o que equivale a 12.5€, e podes andar em todos os transportes públicos sem teres de te preocupar, incluindo os barcos da BKK (D11, D12 e D14), que funcionam diariamente e que te permitem fazer uma tour pelo Danúbio versão económica. Um bilhete custa 750HUF, mas com um passe da BKK pode-se andar gratuitamente nos barcos durante a semana.

Nunca viajes sem um bilhete válido. Os revisores andam por todo o lado e as multas não são nada simpáticas!

O que fazer

  • Parlamento Húngaro (por fora e por dentro se houver tempo) e os Sapatos no Danúbio, mesmo em baixo do Parlamento ao lado do rio. Se quiseres tirar uma fotografia incrível ao parlamento, apanha o metro em Kossuth Lajos Tér até Batthyány Tér e aprecia a vista!
  • Se gostas de museus, tens a Galeria Nacional Húngara, a Casa do Terror e o Museu Nacional Húngaro. Existem muitos outros onde eu ainda não tive a oportunidade de ir, mas recomendo estes 3. Se tiveres sorte, nos primeiros e terceiros sábados de cada mês alguns museus têm entrada gratuita.
  • Subir o colina Gellért e apreciar a vista e depois parar para relaxar nas termas Gellért, as minhas favoritas mas também as mais caras. Se quiseres algo mas económico, existem as Rudas, Király, Lukacs ou até as famosas Széchenyi. No website oficial podes verificar os preços e até descontos.
  • Perto das termas Széchenyi, existe a Praça dos Heróis e mesmo ao lado o castelo Vajdahunyad. Merece uma visita!
  • Visita a Colina do Castelo e o Bastião dos Pescadores e, se houver tempo, repete a visita à noite, para ver a cidade iluminada. Não convém ir depois da 1 da manhã pois as luzes desligam-se por volta dessa hora.
  • Vale a pena visitar a Basílica de São Estevão e ver a vista panorâmica da cidade da sua cúpula Dica: existe elevador se quiseres evitar a escadaria.
  • Explorar o Bairro Judeu e a Sinagoga, a segunda maior do Mundo. Se achares a entrada muito cara, vê por fora.
  • Sabias que os famosos Escape Rooms começaram em Budapeste? Vale mesmo a pena experimentar pelo menos uma vez! Existe o Exit Point, Escape House ou o Parapark, o primeiro Escape Room do Mundo, entre outros tantos,
  • Faz um favor a ti mesmo e visita uma das bibliotecas mais bonitas do Mundo, Ervin Szabó. Para se poder entrar, tens de te registar como leitor ou como visitante diário, que custa 200HUF pago em dinheiro.
  • Se aprecias ópera e ballet, existem performances quase todos os dias e o preço dos bilhetes é bastante acessível, principalmente para estudantes. Os Húngaros são muito bons a cantar. Podes também visitar a Casa da Ópera que é muito bonita. Eu visitei-a quando fui ver uma ópera.
  • A Ilha Margarida é um sítio óptimo para uma caminhada sossegada, uma corrida ou para andar de bicicleta. Podes também aproveitar o espectáculo da fonte mágica de Março a Outubro às 10:30, 17:00, 18:00, 19:30 e 21:00.
  • Viaja pela cidade no icónico eléctrico nº2, desde a Ilha Margarida até Fövám Tér (onde podes encontrar o Mercado) e apreciar as vistas sobre as pontes.
  • Um dos meus lugares favoritos em Budapeste é o Fellini Római Kultúrbisztró, onde se pode comer e beber e aproveitar o sol no Verão. Está aberto de 1 de Maio a 1de Outubro e pode-se chegar lá de barco desde o centro da cidade e aproveitar as vistas sobre o rio Danúbio.
  • Se tiveres tempo e no Verão, vai até ao Balaton, o maior lago da Europa Central. Não te esqueças do bikini/calções e da toalha de praia! Para lá chegar, basta apanhar o comboio na estação Déli. Normalmente é preciso pagar uma pequena quantia (aproximadamente 500HUF/2€) para se conseguir chegar à água, pois existem praias privativas. Recomendo Siófok, Balatonfüred, Tihany, Keszthely e Fonyód. No Verão, é possível visitar o lago de barco.

Onde comer/sair

  • O meu sítio favorito é sem duvida o Ahoy Café, onde podes desfrutar do melhor chocolate quente do Mundo e o dono e empregados são todos muito simpáticos.
  • The Donut Library tem os melhores donuts da cidade.
  • No Mercado pode-se encontrar imensa comida típica e os melhores e mais baratos souvenirs. Se entrares pela porta principal, existe uma banca com “húngaros” (aquelas bolachas com metade chocolate metade bolacha) muito variados. Existem também imensos enchidos deliciosos e podes também provar a famosa aguardente húngara a Pálinka ou o licor Unicum.
  • Drum Cafe, onde se pode comer comida húngara como uma óptima sopa goulash por uma ninharia.
  • Mazel Tov, se quiseres provar comida Judaica.
  • Bors Gastro Bar, um dos meus restaurantes favoritos, onde servem deliciosas sandes e sopas. (O Gordon Ramsay também é fã!)
  • Trofea Grill, um buffet com comida à descrição.
  • Paprika Vendéglő, um restaurante de comida típica muito aclamado pelos locais.
  • Se gostas de gelados, não deixes de provar o Gelarto Rosa, mesmo em frente à Basílica de São Estevão. Pede happy end e terás o fundo do cone cheio de Nutella!
  • Existem também muitos restaurantes e bares no Gozsdu Udvar.
  • O 360 Bar é um bar num terraço com uma vista incrível e óptimos cocktails. É sempre mais seguro reservar mesa.
  • Se estás numa de sair e dançar, aqui estão as minhas discotecas/bares favoritos: Morrison’s 2 com noites temáticas, Fogas Ház, Instant, Hello Baby, Romkert, Anker’t e o famoso Szimpla Kert. Budapeste está cheia de bares em ruínas, por isso perde-te pelas ruas e aproveita a noite.

Poderia ficar horas e horas a escrever acerca de Budapeste e da Hungria, mas acho que já chega. Espero que adorem Budapeste tanto como eu!

Alguma sugestão ou dúvida? Deixa um comentário!

Com amor,

Mafalda Sousa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *